Empreender na Música

5 maiores erros que sua banda comete nas redes sociais

Se você ainda não sabe que o mercado underground é o futuro da música, principalmente no ramo do rock, continue lendo esse post e entenda o por quê.

Essa afirmação pode parecer exagerada, mas eu vou te explicar melhor como cheguei a essa conclusão.

Com a invenção da internet, todo o tipo de relação social ao nosso redor mudou. Olhe para o lado, se for preciso pare de ler o texto e pense: o que não mudou na forma como nos relacionamos depois da internet? O nosso modo de comunicar é outro, de vender música, de divulgar música, de comprar produtos etc.

Isso tudo porque as novas mídias ELIMINARAM a necessidade de intermediários para qualquer coisa. No nosso caso aqui, isso quer dizer que o processo linear que antes era assim:

“banda – gravadora – produtora – distribuidora – mídias – público”

hoje, é assim:

“banda – internet – público”

Por causa disso, é vital que uma banda de rock que queira viver de música utilize sua principal ferramenta da melhor forma para atingir seu público e angariar fãs: a internet.

“Ah, mas isso eu já sei. Minha banda está em todas as plataformas sociais e também de streaming” — é o que você acabou de pensar, talvez.

Ok, mas será que você está fazendo isso realmente da forma correta? Tire a prova, não continue errando.

Abaixo, citamos 5 erros mais comuns que as bandas cometem nas redes sociais:

 

  • Não construir um relacionamento com seu público

O primeiro erro mais comum de uma banda é pensar que fazer o próprio som e soltar em uma página do facebook é suficiente para angariar seguidores. NÃO.

Uma carreira musical é construída por interação e relacionamento de verdade. E isso leva tempo pra conseguir.

Vamos pensar numa situação hipotética: você conhece alguém que parece especial. Quanto tempo levará para que você realmente namore e ame aquela pessoa? Essa é uma pergunta subjetiva, mas certamente vai demandar um investimento da sua parte e isso significa dar atenção, gerar valor, dar feedback etc.

Neste caso, devemos pensar da mesma forma. O seu fã quer saber dos bastidores da sua vida, quer fazer parte do seu sonho, quer se sentir como o 5º elemento da banda. Invista nisso e colha os bons resultados.

 

  • Não mostrar a cara

Outro ponto primordial e que faz toda a diferença: mostre a sua cara (literalmente). Alguém só vai comprar algo seu ou da sua banda, seja a proposta de valor, a música, os shows ou os merchs, se você comprar antes. Como alguém vai querer virar fã do seu som se nem mesmo você mostra que é apaixonado por aquilo?

Aqui no Rock Startup, nós percebemos que as postagens que as pessoas mais interagiam e curtiam eram as que estávamos mostrando nossos bastidores e também nossa cara. Por isso, sentimos a necessidade de aparecer mais e interagir com nosso público e é o que estamos fazendo.

Se possível esteja presente diariamente, mostrando todos os processos e bastidores da banda e dos integrantes. Mas cuidado! Estamos falando de conteúdo que agregue valor a seu público! *_*

Afinal, se pararmos para pensar, as redes sociais têm esse nome não é à toa, né?

 

  • Não medir os resultados

Aonde você quer chegar?

“Ah, eu quero ter sucesso e viver de música” — você poderia me dizer.

Não, isso não é saber aonde quer chegar. Isso todos os apaixonados por música também querem. Pense melhor e responda:

Aonde você quer chegar?

Uma meta real é feita assim: eu quero fazer 10 shows no próximo semestre. Ou: quero conseguir 200 fãs até o final de 2018.

A partir disso, você é capaz de direcionar todas as suas ações em busca desse sonho.

Voltando para as redes sociais….

De que adianta postar conteúdos sem estratégia? Você não vai chegar muito longe. Por isso:

  1. Elabore uma estratégia
  2. Aplique-a
  3. Estabeleça uma forma de medir se aquilo está funcionando
  4. Melhore o que não está funcionando
  5. Alcance resultados

 

  • Falar demais de si mesmo

Você conhece a teoria do marketing digital 70-20-10? Se não, vou explicar:

Ela defende que os conteúdos na internet devem ser feitos nessa proporção:

. 70% Conteúdos Relevantes para seu público (que gere valor para ele);

. 20% Compartilhamento de conteúdos de outras bandas ou sites que têm a ver com a sua banda;

. 10% Autopromoção (lançar agenda de shows, postar músicas próprias etc.)

Por aqui você já deve ter percebido que, se a sua banda usa as redes sociais somente para divulgar eventos, shows e trabalho, ela está fazendo MUITO ERRADO.

Lembra quando falamos de criar relacionamento com fãs? Para isso, é preciso criar valor antes, para depois que tiver um público fiel poder divulgar o trabalho.

 

  • Tentar reinventar a roda

Na ânsia de tentar ser muito inovadora, diferente para se destacar das demais, algumas bandas podem perder muito tempo mirabolando planos inéditos. Na verdade, o que você precisa é de entender o que cada plataforma de mídia pode trazer de bom para seu trabalho e a partir daí, usá-la estrategicamente.

Isso não quer dizer, de forma alguma, que vocês não possam ser criativos e tentar pensar fora da caixa. Não. Apenas entenda que há mais gente tentando acertar antes de vocês e isso pode ser aproveitado.

Uma boa forma de fazer isso é analisando perfis de bandas que já estão tendo sucesso em suas estratégias sociais. Confira algumas sugestão de páginas que estão fazendo isso certo:

  1. The Rolling Stones
  2. Foo Fighters
  3. Pense
  4. Eminence

Essas foram alguns pontos iniciais e que são essenciais no momento de criar um público pela internet e começar a viver de música. Espero que essas informações tenham sido úteis. grande abraço e sucesso!

 

Marcela do Rock Startup.

 

Padrão
Empreender na Música

Pense Fora da Caixa: 5 Dicas para Você Pensar sua Música de Forma Diferente

No mundo do empreendedorismo, a expressão “think outside the box” é muito comum. No Brasil, a tradução literal é “pense fora da caixa” e isso significa um convite para olhar com outros olhos para os mesmos problemas. Se você quer olhar para a sua música com olhos inovadores, continue lendo!

Não dá para olhar para a realidade da mesma forma e achar que isso vai lhe ajudar a encontrar uma saída mágica para as coisas. Você tem que entender que o exercício de olhar de forma totalmente criativa e inédita para os problemas pode te levar muito longe e te fazer ser ÚNICO para o seu público!

Por isso, separamos 5 dicas para você começar a pensar sua música fora da caixa. Confira:

1. Você não precisa de intermediários para falar com seu público

Essa é uma ideia que já vem sendo desconstruída, principalmente se sua banda possui uma vida ativa no cenário da sua cidade e país. Isso porque, se você está na estrada, certamente já percebeu com as experiências que não existe mais esse papo de ter um intermediário, como uma gravadora, por exemplo, que aproxime sua música ao seu público.

Com a invenção da internet, essa barreira e esse bairrismo foram postas abaixo. Exatamente por isso, também, que o cenário underground vêm ganhando cada vez mais força.

Para você que ainda não caiu na estrada e está estudando as melhores maneiras para fazer a sua música dar certo, comece a pensar dessa forma de uma vez por todas: você não precisa de intermediários para falar com seu público!

Por isso, não fique esperando que vão descobrir a sua música por acaso, por melhor que ela seja. Também não espere que o Rick Bonadio vai te produzir e por isso sua carreira vai estar garantida. Trabalhe em conquistar de verdade seu público e transformá-los em seus fãs!

Uma carreira musical forte e estruturada, nos dias de hoje, precisa necessariamente de uma base de fãs conquistada por meio das redes. Portanto, mãos à obra! Vá atrás do seu público alvo. Ferramentas gratuitas de interação social e de divulgação do seu trabalho é que não faltam!

2. Entenda a gravação antes de ir pro estúdio

Outro mito e comodismo que as bandas geralmente têm é em relação ao momento de gravação. Isso porque a maioria pensa que, só o fato de estar pagando um profissional isso seja suficiente para fazer a sua música acontecer. Isso não é verdade.

Isso vale principalmente para a galera que produz para o mercado autoral. A música é sua, então só você sabe o jeito que ela tem que ser, o jeito que você imaginou e que vai passar a emoção que você quer.

Para que isso seja feito da forma esperada, sua banda não pode depender APENAS de um bom profissional. É necessário que antes de partir pro estúdio, se estude de forma geral como é feita a gravação para que você possa aproveitar o máximo os recursos que existem para fazer a sua canção acontecer da melhor forma.

3. Pare de divulgar: interaja!

As redes sociais não foram feitas para ser uma vitrine de seus produtos. Esse marketing tradicional não funciona nas mídias digitais. Elas existem para gerar valor por meio de trocas e interações. Portanto, antes de chamar todos os seus amigos para curtirem a sua fanpage no facebook e encherem eles de propaganda sobre sua agenda de shows e seus produtos lançados, invista em gerar conteúdos relevantes e que agreguem valor para seu fã!

4. Nem sempre seu amigo é seu fã!

Essa é uma dica muito importante para você que deseja ir além e realmente pensar fora da caixa. Seu amigo não é seu fã! Isso não significa que ele não goste verdadeiramente de sua música e de seu trabalho. A questão aqui é que ele não é a pessoa mais apropriada para te dar um feedback real sobre o seu som, já que ele acompanhou a sua luta e viveu os bastidores disso e também pode não querer dizer a verdade para não lhe desagradar.

Busque opiniões de pessoas neutras, que não vão ser influenciadas pelo aspecto afetivo e pessoal com você, e que possa lhe dar críticas realmente construtivas sobre o seu trabalho. Aqui no Rock Startup a gente faz isso regularmente, à pedido das bandas. Se você tem um som autoral e deseja receber um feedback construtivo sobre seu som, mande um email para musica@rockstartupfestival.com.

5. Entenda que a colaboração vai te levar mais longe

Tire da cabeça de uma vez por todas a ideia de que se você compartilhar contatos e dar dicas espertas sobre os erros e as experiências que sua banda teve isso vai fazer com que outras bandas saiam na sua frente!

Não existe concorrência no ramo da música. Seu público pode escutar o seu som e de mais outras bandas e gostar de todas da mesma forma. Quem pensa assim pode estar querendo se defender porque não possui uma identidade musical – algo bom e único, realmente inovador, que as pessoas vão querer consumir.

Tem espaço para todo mundo e mais: um cenário colaborativo torna as oportunidades mais ricas para todos! Essa é a tendência do mundo em rede que vivemos e deixar isso de lado é andar pra trás.

Gostou do exercício de pensar um pouco fora da caixa sobre essas questões? Tente aplicar esse exercício de pensar diferente do esperado e verá muitas vantagens na sua carreira! Comenta aqui embaixo como tem sido essa experiência e como essas dicas te ajudaram! Até a próxima!

Padrão